quarta-feira, 30 de junho de 2010

Inversão o quê???

Hyper mega super São Paulo!!!! Cidade graaaande, muitas avenidas, restaurantes dos mais diversos, teatros, cinemas, cultura, muitos parques para correr... enfim, parece que tudo acontece por aqui, mas não é bem assim... também não adianta ter tudo se a gente não tem nem tempo e muito menos grana para pagar tudo isso, né!

Olhando por outro lado... existem os problemas (muitos deles a gente vê pela televisão), claro!! Mas um em especial incomoda muita gente...

Um elefante incomoda muita gente.
Dois elefantes incomodam muito mais...

A verdade é que São Paulo no inverno não é legal... Porque com ele, o inverno, temos a atormentadora inversão térmica.... :(

Pois é, mais que raio que é isso??? Aí vai!!!

A inversão térmica é um fenômeno meteorológico facilmente visto a olho nu, principalmente no inverno. É aquela camada cinza alaranjado que "divide o céu da cidade" ao amanhecer e um pouco antes de anoitecer (para desespero dos alérgicos!).
Para que ocorra a inversão térmica é preciso alguns fatores específicos como baixa umidade do ar (suuuuper comum por aqui) baixas temperaturas e pouco vento.



E já sei o que está se perguntando.... como é que acontece essa tal de inversão?

Preste atenção. Quando chega o final da tarde de um belo dia de inverno em São Paulo, os raios solares tornam-se mais difusos e frágeis, assim o solo da cidade se resfria rapidamente. E conseqüentemente, o ar próximo do solo se resfria rapidamente. Aquele ar quente que ainda está na atmosfera continua a subir, mas o ar frio próximo ao solo, por ser mais denso e pesado, fica parado. Assim a temperatura cai ainda mais e toda aquela poluição produzida por aqui, que normalmente é "levada" pelo ar quente, acaba presa na camada mais baixa da atmosfera.


Vixe!!!

E nós corredores animados doidos para sair por aí correndo, acabamos respirando tudo isso... que mal, né!

E agora??? Quem poderá nos ajudar??? (acho que já ouvi isso em algum lugar)... A verdade é que ninguém. Você deverá tomar alguns cuidados básicos (segundo o site Copacabana Runners):
  1. Corra de manhã quando os níveis de poluição e calor são menores.
  2. Evite correr ao lado de ruas movimentadas, particularmente durante a hora do rush à tarde.
  3. Diminua a intensidade do seu treinamento. Correr mais devagar permite que você respire pelo nariz, o que remove o dióxido de enxofre e alguns outros poluentes do ar.
  4. Se você tiver que competir com ar poluído, diminua o aquecimento para minimizar a exposição antes da corrida.
  5. Treine dentro de casa ou na academia se a poluição do ar for perigosamente alta.
  6. Se não tiver a opção de treinar dentro de casa ou na academia, pule o treinamento em dias de muita poluição.
  7. Tome antioxidantes como vitaminas E e C. Há evidências preliminares que antioxidantes ajudam a reduzir os efeitos danosos da poluição.

 Ah, e também tentar dar uma ajudadazinha tipo não reclamando do rodízio, usando mais o metrô ou o transporte público, dando carona para um amigo, usando a bike...
Você tem mais alguma sugestão?
Dona D


Power song de hoje: Contentores (Xutos e Pontapés)
Essa é em homenagem a Portugal... que pena, né!

4 comentários:

  1. oi, dona d!

    bela matéria!

    tô sentindo bem dentro do nariz os efeitos dessa tal inversão térmica: nariz entupido, coriza, olhos ardendo! aff!
    sem falar no fr-rio, rsrsrsrs

    ainda bem que eu corro pela manhã!

    e aí, tá treinando muito pra corrida dos bombeiros?

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Bela dica guerreira !!! Bons treinos

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela visita lá no blog que escrevo, Dona D.
    Estou com os mesmos sintomas apontados pela Elis...
    O certo seria fazer como você escreveu: correr "indoor"...
    Mas eu não consigo.
    Boa sexta-feira para você.
    Grato,
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir